22 maio 2009

LUGAR PERFEITO.

Advento da vida.
Advir em águas claras
sustentando meu mundo
no sentido da grande órbita.

Mas o adverso destino
me coloca pelo avesso
numa rede de desatino
que dissolve-me na correnteza da falta.
Olha pra mim com sorrir desdentado,
percebendo a barreira intransponível a se erguer.

Sou movido pelo desejo insaciável
de tê-la contida num sonho,
do qual espero nunca acordar.

Vem, com tua presença fulgurante,
para planarmos sobre paisagens desérticas,
inundando-as com mares encantados.

Vem, despertando as coisas mais sublimes,
para aquecer meu corpo glacial
que não encontra em nenhum cobertor
a paz resplandecente da tua chegada.

Vem, amanhece esta noite que não passa,
deixando meus passos sem distância.

Vem, quero as palavras do teu coração,
quero o silêncio da tua mão
a me levar para onde nunca sei.
Só sei que é sempre o lugar perfeito.

Sandro Gonzaga

Um comentário:

ana_fenix disse...

Achei lindo, não ha palavras para expressar a beleza deste poema.